Questo sito usa cookie per fornirti un'esperienza migliore. Proseguendo la navigazione accetti l'utilizzo dei cookie da parte nostra OK

As relações bilaterais

 

As relações bilaterais

As relações de colaboração política entre a Itália e o Brasil estão baseadas em um patrimônio comum de valores democráticos e em uma ampla gama de atividades e contatos realizados tanto em nível de governos centrais, quanto entre as regiões e as províncias italianas, por um lado, e as cidades e os Estados brasileiros, do outro. Milhões de brasileiros são descendentes de italianos e a comunidade de cidadãos italianos que moram no Brasil é muito numerosa e cresce a cada ano.

 

Em novembro de 2015, o Ministro para as Relações Exteriores Paolo Gentiloni realizou uma missão diplomática em São Paulo e Brasília e foi acompanhado por mais de vinte representantes de empresas italianas interessadas em oportunidades de investimento no Brasil. A missão permitiu consolidar as excelentes relações políticas e lançou as bases para fortalecer a colaboração econômica por meio de novos investimentos italianos no setor das infraestruturas, da energia e no setor aeroespacial (ver aqui). A agenda da visita do Ministro para as Relações Exteriores italiano ao Brasil foi inspirada pelo que a presidente Dilma Rousseff e o Primeiro-ministro italiano Matteo Renzi concordaram durante a reunião de julho de 2015, em Roma.

 

Em nível institucional, as relações bilaterais seguem as linhas do plano de ação "Parceria Estratégica", assinado em 2010, e as diretrizes estabelecidas pelo Conselho de Cooperação Itália-Brasil, que se reúne anualmente para examinar as principais colaborações nos diferentes setores de atividade (relações políticas, econômicas e comerciais, projetos científicos e culturais, intercâmbios acadêmicos, defesa).

 

Outros setores de colaboração intensa são: as Pequenas e Médias Empresas, (setor no qual a Itália possui excelências de renome mundial), as Políticas do Trabalho (para as quais foi assinado um Memorando de Entendimento) e a participação italiana no programa "Ciência sem Fronteiras" (a Itália é um dos principais destinos escolhidos pelos estudantes brasileiros para o período de estudo no exterior).

 

O fato de ambos integrarem todas as principais organizações internacionais (incluindo a ONU, a OMC, a OMS, a FAO) permite aos dois países uma colaboração frutuosa também no campo multilateral, onde suas respectivas ações são inspiradas pela busca da solução pacífica das controvérsias, pela defesa e promoção dos direitos humanos, pela proteção do meio ambiente, pelo desenvolvimento sustentável e a cooperação econômica multilateral. O Brasil e a Itália têm também outras oportunidades e sedes de encontro e de diálogo sobre questões da agenda política e econômica internacional: as cúpulas regionais organizadas entre a União Européia e as organizações sul-americanas (EU-CELAC e UE-Unasur) e as cúpulas anuais do grupo G20.

 

A "Conferência Itália - América Latina e Caribe", que o governo italiano organiza anualmente com todos os países do continente latino-americano, representa outro importante momento de diálogo entre os representantes dos dois governos.


29