Questo sito usa cookie per fornirti un'esperienza migliore. Proseguendo la navigazione accetti l'utilizzo dei cookie da parte nostra OK

Cooperação Econômica

 

Cooperação Econômica

As relações entre a Itália e o Brasil, no âmbito das quais a cooperação econômica representa um eixo importante, atravessam uma fase muito positiva.

Alguns dados ajudam a explicar melhor a importância do Brasil como parceiro para as empresas italianas, tanto em termos de investimentos quanto de intercâmbio comercial.

1. Comércio Bilateral

Em 2018 o comércio entre a Itália e Brasil continuou em recuperação (+1,8%, totalizando 7,248 bilhões de euros), depois de sua retomada em 2017 (crescimento de 10%, totalizando 7,118 bilhões de euros) que colocou um fim aos 3 anos de queda devido à crise econômica no Brasil. Após o recuo entre 2016 e 2017, a balança comercial registrou um superávit em favor da Itália de 509 milhões de euros (486 milhões em 2017).

As importações do Brasil provenientes da Itália somaram 3,872 bilhões de euros em 2018. As importações de máquinas e aparelhos elétricos, que representam aproximadamente o 30% do volume total, voltaram a crescer em 2018 (+11% em comparação com 2017), principalmente máquinas para embalagens (+53,1%), somando 1,167 bilhão de euros. Os produtos químicos fazem parte da segunda categoria mais importante (394 milhões de euros +3,8% em comparação com 2017), seguidos pelos veículos automóveis (349 milhões de euros) e pelos produtos farmacêuticos (313 milhões de euros). Os setores com o maior crescimento, no que diz respeito às nossas exportações, foram os produtos têxteis (+27,3%, 31,6 milhões de euros), os aparelhos elétricos (+16,3%, 242,8 milhões de euros) e os produtos da indústria metalúrgica (+14%, 116,2 milhões de euros).

As exportações brasileiras para a Itália totalizaram 3,370 bilhões de euros em 2018. Trata-se tradicionalmente de matérias-primas e produtos de base (além de 75% do total). As exportações de papel e celulose, que representam o setor mais importante (24,1% do total em 2018) – registraram, no ano passado um dinamismo relevante (+37,3%), enquanto os outros produtos de base registraram uma redução (queda de 5,1% dos metais , de 6,0% do café e de 24,7% da soja). Entre as exportações com o maior valor agregado, aumento nas máquinas e nos aparelhos elétricos (peças e cilindros para os motores diesel ).

A Itália representa o décimo segundo mercado de destino para as mercadorias brasileiras (a quota italiana no total das exportações brasileiras equivale a 1,5%), enquanto é o sétimo fornecedor do Brasil (segundo entre os países europeus, depois da Alemanha e antes da França, com uma quota sobre o total das exportações brasileiras de 2,5%).

2. Investimentos.

Em termos de fluxos de investimentos, de acordo com os dados publicados em abril de 2019 pelo Ministério da Economia, a Itália se tornou o principal investidor entre os Países que assinaram um Memorando de Intendimento no âmbito da facilitação dos investimentos (Estados Unidos, China, Japão, França). De acordo com o estudo, o fluxo dos investimentos proveniente da Itália somava aproximadamente 3,5 bilhões de dólares em 2018. No primerio trimestre 2019 o valor era aproximadamente de 5 bilhões de dólares. Os dados não consideram os 4 bilhões de dólares de investimentos anunciados pela FCA nos próximos anos.

No que concerne ao estoque de investimentos diretos, as últimas estatísticas disponíveis do Banco Central do Brasil relativas a 2015 (censo de 2016) colocam a Itália na décima posição entre os países investidores, com quase 11 bilhões de dólares (segundo o método de cálculo que leva em consideração a efetiva propriedade do capital). Os dados de fluxos entre janeiro de 2016 e novembro de 2017 colocam a Itália na oitava posição, com 4,3 bilhões de dólares.

Com relação à composição do estoque, os investimentos italianos no Brasil (segundo o conceito do investidor final) se concentram de modo predominante na indústria de transformação (33,6%), nos setores de informação e de telecomunicações (28%), eletricidade e gás (14,9%) e financeiro (9,2%).

Ainda muito limitados são os investimentos na Itália por parte de empresas brasileiras, ainda pouco propensas a se internacionalizarem, sobretudo fora das tradicionais áreas de interesse representadas pelo Cone Sul, África e Estados Unidos.

3. Presença Empresarial italiana no Brasil

Em junho 2019 a Embaixada da Itália recenseou 972 filiais de empresas italianas, um aumento de aproximadamente 20% em comparação com o último censo realizado em 2013.

No âmbito qualitativo, as empresas italianas adquiriram muita importância neste mercado em setores estratégicos para a economia brasileira, como energia, telecomunicações, aço, rodovias e setor automotivo.

Com relação à localização geográfica dos investimentos da Itália no Brasil, além dos estados do sul, mais desenvolvidos economicamente e meta preferida dos empresários italianos (mais da metade de nossas empresas estão concentradas no Estado de São Paulo), as empresas italianas estão também se aproximando do Nordeste (Pernambuco, Maranhão, Bahia) e do Centro (Goiás e Mato Grosso do Sul).

Para maiores informações, convidamos a consultar o site www.infomercatiesteri.it

 

DIPLOMACIA ECONÔMICA: PUBLICAÇÃO DE “FAQ” SOBRE A ASSISTÊNCIA ÀS EMPRESAS

As atividades de informação e comunicação às empresas a respeito da diplomacia econômica constitui uma prioridade para o MAECI (Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Internacional da Itália) e a sua rede no exterior. Em sintonia com essa ação de comunicação, encontra-se disponível no site institucional desta Embaixada uma série de “FAQ” de fácil consulta para as empresas, que descrevem de modo sintético e operacional quando e em quais modalidades é possível o contato com Embaixadas e Consulados a respeito de mercados externos. O objetivo é o de aumentar o conhecimento dos operadores a respeito do papel da diplomacia econômica, além de suas especificidades com relação aos instrumentos de apoio à internacionalização colocados à disposição de outros sujeitos. A diplomacia econômica constitui um instrumento de grande utilidade para acompanhar as empresas em seus respectivos processos de internacionalização nos mercados estrangeiros.

FAQ https://www.esteri.it/mae/it/servizi/sportello_info/domandefrequenti/quale-assistenza-per-le-imprese-italiane-all-estero.html

 


33