Este site usa cookies técnicos, analíticos e de terceiros.
Ao continuar a navegar, aceita a utilização de cookies.

COMUNICADO DE IMPRENSA EMBAIXADA DA ITÁLIA EM BRASÍLIA-CÂMARA DE COMÉRCIO ITALIANA DE SÃO PAULO. SEMINÁRIO “INTERCÂMBIOS DE TECNOLOGIA E OPORTUNIDADES NO SETOR DE MÁQUINAS” (10 de maio)

Foi realizado hoje o webinar “Intercâmbios de tecnologia e oportunidades no setor de máquinas”, promovido pela Câmara de Comércio Italiana de São Paulo (ITALCAM), com o apoio da Embaixada da Itália em Brasília, da SIMEST e da Federação Nacional dos Fabricantes de Máquinas Agrícolas (FEDERUNACOMA), e com a participação da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ).

Entre os oradores estavam o Embaixador italiano Francesco Azzarello; o Presidente da ITALCAM, Graziano Messana; a Vice-Presidente da ABIMAQ, Alida Belandi; o Presidente da FEDERUNACOMA, Alessandro Malavolti; e o Responsável Indirect Channels Simest, Carlo de Simone.

Durante os vários discursos foram aprofundadas as complementaridades agrícolas Itália-Brasil, também em termos de parcerias e investimentos industriais. Foi destacado como os setores de máquinas e equipamentos mecânicos, onde a tecnologia italiana é de excelência, e a agricultura de precisão, na qual a Itália é especialista, poderiam facilitar o aumento da produtividade agrícola para a qual o Brasil, o gigante agrícola mundial, está visando.

A vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, Alida Belandi, fez um apelo para uma cooperação sistêmica em todos os níveis. “A importância estratégica do relacionamento industrial Brasil-Itália é evidente, e tem grande potencial de crescimento. Juntos desfrutamos de importantes vantagens comparativas, tanto pelo perfil das empresas em nossas associações comerciais (ABIMAQ-ITALCAM), quanto pela combinação de demanda e oferta tecnológica dos dois países, Brasil para a agricultura tropical e Itália para a agricultura mediterrânea. Nossa colaboração pode proporcionar valor agregado a um projeto comum, promovendo acordos comerciais bilaterais que darão sustentabilidade às relações comerciais e industriais entre os dois países”.