Este site usa cookies técnicos, analíticos e de terceiros.
Ao continuar a navegar, aceita a utilização de cookies.

CELEBRAÇÕES DA FESTA DA REPÚBLICA ITALIANA

Na última quinta-feira, dia 1 de junho de 2017, foi realizada na Residência do Embaixador a recepção para a celebração da Festa da República Italiana, que viu a participação de um grande público, integrado por autoridades governativas, expoentes do mundo político, econômico, cultural, militar e diplomático.

A noite articulou-se em homenagem ao Made in Italy, com a presença no evento de 15 firmas italianas: os convidados puderam apreciar a exposição de veículos e motos entre as mais importantes das casas automobilísticas italianas, degustar produtos típicos da gastronomia italiana e assistir à exibição de alguns vídeos sobre a presença italiana no Brasil e sobre o valor histórico, artístico e naturalístico das paisagens italianas mais famosas e apreciadas no mundo.

Ao proferir seu discurso, o Embaixador Antonio Bernardini relembrou o significado profundo da celebração da Festa da República Italiana: “Há 71 anos, o povo italiano, após a tragédia do fascismo e da guerra, decidiu se tornar uma democracia republicana. Desde então, nosso País conheceu um longo período de desenvolvimento econômico e de paz. Acreditamos na democracia, no respeito aos direitos humanos, na justiça social, na tutela do meio ambiente e nestes anos trabalhamos juntos a Países amigos e aliados para garantir a paz no mundo e o bem estar econômico”. A este respeito, o Embaixador salientou o empenho da Itália no contexto internacional, em especial com relação ao âmbito europeu (no ano em que são celebrados os sessenta anos da assinatura dos Tratados de Roma) e da ONU (no ano em que a Itália integra o Conselho de Segurança), mas também com relação às missões de paz em que são empenhadas nossas Forças Armadas e à recente cúpula do G7 em Taormina, do qual a Itália ocupa atualmente a Presidência.

O Embaixador também quis evidenciar o papel que a Itália desenvolve no Brasil, um País onde vivem 500 mil italianos, sendo a quarta maior comunidade italiana no mundo. As mais de 1000 empresas italianas instaladas no Brasil olham com confiança ao futuro deste País e continuam investindo e oferecendo a própria contribuição à retomada da economia brasileira. A retomada da economia beneficia o Brasil, a América Latina e a Itália. O futuro da Itália e do Brasil é o de trabalhar sempre mais junto, conforme o espírito de parceria que caracteriza suas relações bilaterais. Desde o início da imigração até os investimentos industriais dos últimos meses, a Itália é sempre presente, inserindo-se como poucos outros no tecido social, sempre com grande convicção. Isto confirma como nosso País considere o Brasil e os brasileiros interlocutores confiáveis.

Antes de concluir seu discurso, o Embaixador Bernardini lembrou as centenas de milhares de seres humanos que, à procura de um futuro melhor, tentam atravessar o Mar Mediterrâneo, bem como o empenho italiano para salvar suas vidas e para prestar assistência. “Gostaria”, disse, “dedicar um pensamento às 31.500 crianças que desde 2016 chegaram às costas italianas sem um pai e uma mãe. Crianças sozinhas, às quais devemos demonstrar que um mundo melhor é possível”.

Ao longo da noite foram também inauguradas três importantes exposições que a Embaixada da Itália hospeda durante o mês de junho.

A exposição Even Closer Union, promovida pelo Ministério das Relações Exteriores italiano no âmbito das iniciativas organizadas para a celebração do 60º aniversário dos Tratados de Roma: fotografias, documentos históricos, imagens e testemunhos que percorrem a história e a evolução do projeto de integração da União Européia, desde 1957 até os dias de hoje. Um projeto que proporcionou à União Européia importantes progressos no âmbito político, econômico, social e internacional e que representa, exatamente por isso, uma extraordinária história de sucesso. Os valores e os resultados deste projeto são apresentados por esta mostra, exposta em 2017 em mais de 200 sedes da Rede diplomático-consular italiana no exterior, incluindo o Brasil.

A exposição Italiani come noi – Eccellenze che diventano identità (Italianos como nós – Excelências que se tornam identidades), promovida pela Associação Amicizia Italia-Brasile e por Brazil Planet, é dedicada às excelências do Made in Italy e aos aspectos característicos da identidade italiana e dos nossos valores. A exposição pretende constituir uma homenagem à emigração italiana no mundo, por meio da qual a Itália construiu sua imagem fora de seus confins, num País como o Brasil que hospeda uma das maiores comunidades de descendentes de italianos no mundo.

A esplêndida Sala Nervi da Embaixada hospeda a mostra fotográfica Il paesaggio deScritto, um itinerário fotográfico ao longo da Península que percorre 45 sítios italianos UNESCO para celebrar a relevância e a consistência do patrimônio artístico e cultural italiano, um entre os mais amplos no mundo pela variedade e pela qualidade. Atualmente, a Itália possui o maior número de sítios incluídos na prestigiosa lista do Patrimônio UNESCO, firmando-se como guardiã de tesouros de extraordinária importância histórica e cultural. Um patrimônio da humanidade que, antes de tudo, constitui um bem a ser tutelado e preservado em prol das gerações futuras. Ciente desta realidade, em novembro de 2015, por ocasião da 38ª Conferência Geral da UNESCO, a Itália propôs a instituição dos Capacetes Azuis da cultura. A constituição da força tarefa italiana no contexto da coalizão global da UNESCO Unite4Heritage é hoje uma realidade: sob a égide da UNESCO, uma formação internacional integralmente italiana, formada pelos Carabinieri do Comando para a tutela do patrimônio cultural, por historiadores da arte, por estudiosos e por restauradores, é pronta a intervir nas áreas de crise para tutelar o patrimônio cultural mundial. A Itália, o País com o maior patrimônio artístico, histórico, cultural e paisagístico do mundo, atua hoje na primeira linha da proteção do patrimônio cultural material e imaterial em nome do diálogo e do pluralismo cultural, ciente que a proteção do patrimônio cultural constitui um imperativo moral e humanitário e, por isso mesmo, deve envolver toda a comunidade internacional. Um sucesso italiano em nome da defesa da cultura e da civilização.