Este site usa cookies técnicos, analíticos e de terceiros.
Ao continuar a navegar, aceita a utilização de cookies.

Joint social media campaign on the EU – Brazil cooperation in the field of science and technology

Cooperação científica e tecnológica entre Itália e Brasil

A cooperação científica e tecnológica constitui um dos pilares das relações entre Itália e Brasil, graças aos numerosos acordos existentes entre universidades, instituições e empresas. Basta pensar que todos os anos são firmados cerca de 100 novos acordos de cooperação científica entre universidades. Entre os países com os quais as universidades italianas celebram acordos de cooperação científica e mobilidade o Brasil está em terceiro lugar, colocando-se em termos absolutos antes dos EUA, China e Alemania. Um dos setores onde essa cooperação é importante e estratégica para Itália e Brasil é o setor da engenharia espacial e os setores relacionados. A cooperação espacial, de clara natureza S&T, desenvolveu-se em nível de acordos entre as defesas, as Agências Espaciais, as indústrias e, claramente, entre as universidades.

A mobilidade dos estudantes, dos doutorados e dos pesquisadores é outro recurso extraordinário para Itália e Brasil. Se não tomarmos em consideração grandes programas brasileiros do passado como Ciências sem Fronteiras, a cooperação com a Itália demonstra mais uma vez sua peculiaridade, o caráter bidirecional dos fluxos: há muitos estudantes de mestrado e doutorado, assim como pesquisadores que vão para Itália, mas ao mesmo tempo há também muitos italianos que vem pro Brasil, porque os dois países reconhecem as respetivas áreas de excelência que justificam e atraem a mobilidade. Um exemplo é o acordo Mobility Confap Italy (MCI), celebrado entre o Conselho Nacional das FAPs e uma rede de 20 Universidades italianas, com as duas partes que financiam as bolsas dos próprios doutorandos e pesquisadores que pretendem desenvolver parte das suas atividades no outro país.

Um último exemplo da peculiaridade da cooperação científica e tecnológica entre os dois países é o significativo afluxo dos docentes universitários italianos no Brasil, empregados nas universidades federais e em outras instituições. Em línea com as políticas do Ministério das Relações Exteriores e da Cooperação Internacional, em prol da criação de uma rede de docentes e pesquisadores italianos no mundo, foi recentemente criada a Associação dos Pesquisadores Italianos no Brasil.